logo-header

Com apoio do BNDES, projeto com Internet das Coisas identifica aumento de 19,45% na produção de soja.

- Parceria entre FITec, NOKIA, ALGAR e UFU conduziu o projeto

- Tecnologia incrementou acerto de 12,5% na previsão meteorológica e de 142% em
melhora de sementes

- Projeto ocorre no âmbito do BNDES Pilotos IoT, chamada para seleção de projetos-
piloto de Internet das Coisas (IoT)

- BNDES já conta com linhas de financiamento para aquisição e desenvolvimento de
soluções de IoT para o setor agrícola

Apoiado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social
(BNDES), o projeto AgroConnect, identificou que o uso de soluções de Internet
das Coisas (IoT) pode aumentar a produção da soja em 19,45%. A iniciativa foi
a primeira concluída no âmbito do BNDES Pilotos IoT, chamada realizada em
2018 para avaliação do uso de soluções tecnológicas de IoT em larga escala
em três ambientes reais: cidades, saúde e rural. O estudo, recém-finalizado, foi
elaborado por meio de uma parceria entre a FITec - Fundação para Inovações
Tecnológicas, a Nokia Solutions and Networks, a Algar Farming e a
Universidade Federal de Uberlândia (UFU).

O objetivo do AgroConnect foi o de desenvolver, por meio do teste de diversas
tecnologias, uma plataforma integrada de diferentes soluções de IoT para o
agronegócio (que envolvem clima, solo, manejo, máquinas, eficiência
energética e eficiência hídrica), já disponíveis no mercado. Esse piloto tinha a
finalidade de aumentar a qualidade de informações do produtor sobre o cultivo
e, consequentemente, gerar ganhos de produtividade e rentabilidade.

O piloto foi realizado nas cinco fazendas do Complexo Gaia, no município de
Monte Alegre de Minas (MG), a 82 Km de Uberlândia. Ao todo, foram
implantadas oito tecnologias IoT para o monitoramento de dados, entre 2019 e
2021, que englobam sensoriamento remoto de lavouras, monitoramento
meteorológico, do solo, dos recursos hídricos, das operações agrícolas e de
ativos, além de outros dispositivos de agricultura de precisão.

Além do aumento de produtividade de até 19,45% em sacas de soja por
hectare frente à média histórica de safras anteriores do complexo, os estudos
indicaram também um aumento de 12,50% na porcentagem de acerto da
previsão meteorológica e um aumento de 142% na singulação (efeito de tornar
uma semente singular, sem falhas ou duplas), dentre outros indicadores.

Cabe mencionar que os investimentos feitos em equipamentos e serviços de
IoT se pagaram já na primeira safra, e os gastos com fornecedores caíram 55%
após o segundo ano.

A partir de um estudo prático, robusto e independente sobre o uso das
tecnologias em ambiente real e em larga escala, o AgroConnect comprovou as
vantagens da aplicação de soluções de IoT na agricultura, apresentando um
conjunto de oportunidades para replicação destas soluções em culturas de
grãos de modo geral, não apenas da soja. Uma delas seria a disponibilização
de linhas de crédito que apoiem a difusão das tecnologias no campo.

O BNDES conta com linhas de crédito que impulsionam a transformação digital
da agricultura, contribuindo para o desenvolvimento de soluções e facilitando
investimentos iniciais em IoT realizados por produtores rurais, tais como
o BNDES Finame Máquinas 4.0, BNDES Finem - Crédito Inovação Direto,
Inovagro e Cartão BNDES.

Sobre o BNDES Pilotos IoT – A iniciativa é um desdobramento do
estudo “Internet das Coisas: um plano de ação para o Brasil”, apoiado pelo
BNDES em parceria com Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e
Comunicações (MCTIC) e conduzido pelo consórcio McKinsey/Fundação
CPqD/Pereira Neto Macedo Advogados.

Seu objetivo foi a seleção de projetos-piloto de testes de soluções tecnológicas
de Internet das Coisas (IoT) para apoio com recursos não reembolsáveis nos
três ambientes priorizados: Cidades, Saúde e Rural. A participação do BNDES
com recursos não reembolsáveis chegou a 50% dos itens financiáveis. O valor
mínimo do apoio do Banco a cada plano de projetos-piloto foi de R$ 1 milhão.

Um projeto-piloto consiste em um ou mais casos de uso que serão testados em
plataformas de experimentação e/ou diretamente em ambientes reais de uso,
como cidades, unidades de saúde ou propriedades rurais, cuja execução será
por meio de testes em escala real e ambiente controlado, com ênfase em
sistemas abertos e interoperáveis e engajamento de um conjunto amplo de
atores, especialmente os usuários.

Relatório projeto clique aqui.
Resumo executivo clique aqui.
Saiba mais sobre o BNDES Pilotos IoT em www.bndes.gov.br/pilotosiot.